sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Jabuticaba


Faz algum tempo que não digo aqui o sentido por aí. Muitas coisas tem mudado, mas não consigo enumerar as horas sopradas pelo tempo. Com alguma fé ainda tento encontrar na areia os grãos do último passo; sem êxito, resta-me unir aquilo que couber em poucas mãos. Quando escolhi o restante dos dias? Embriagado de tanto consumir o amor acabei por me tornar a resposta confusa da alegria. Benditos olhos de jabuticaba, hoje acordei os meus só pra te beber...

terça-feira, 22 de março de 2011

A flor

Trecho da vida de um jardineiro, momentos antes de continuar seu trabalho:

Não posso conversar com você por mais 2 segundos, estar aqui em contados 3, ou mesmo ousar permanecer sentado quando o relógio der conta dos 4 que passaram. Eu só posso negar que o tempo ou espaço fazem sentido quando tuas pétalas delimitam a beleza dos meus sonhos, atravessando-me a vida que agora já pode alguma coisa; nem que seja desejar teu perfume mais uma vez.

sexta-feira, 11 de março de 2011

Está tudo errado


Uma vez para enfrentar o medo de cair da bicicleta me atirei na ladeira mais íngrime que conheci até hoje( isso vale também para os moradores de Olinda). Observando agora, coisas como essa não me parecem racionais. Veja que loucura: conhece-se uma pessoa similar a qualquer uma que já tenhas topado antes, passa-se um tempo lendo poesias, escutando músicas que cantam versos que você pretensiosamente identifica como dirigidos ao próprio, perde tempo pensando numa vida que talvez nunca seja e ainda por cima utiliza o argumento de estar usando razões sentimentais. Que tipo de razão é essa que nunca me explicaram? Tempos confusos... Acredito que ainda haverá um manifesto contra a má distribuição da beleza e, enquanto isso não acontece, dêem-me licença pois tenho uma ladeira para enfrentar.

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Matéria de Poesia

Blá, blá, blá... é assim que me parecem soar palavras ou gestos balbuciados quando a vida se manifesta de maneira tão singela, roçando bondosamente sua existência na minha. Hoje não quero falar, só por este momento ei de ser poesia.



*O vídeo foi criado pelo meu amigo Tibério Azul, cantor e poeta querido, cujo espírito contempla afavelmente este planeta quadrado.

sábado, 12 de fevereiro de 2011

Onde está Deus?

video

Fácil para os dispostos a acreditar e deveras áspera aos lógicos. Acompanhei um plantão num hospital recentemente e, excluindo toda aquela conversa velha que já está fadada ao nosso mundo de teias de aranha, percebi que muitos pacientes se amontoavam nos corredores não apenas pela demanda excessiva, mas também pela omissão abraçada pelos profissionais de saúde. Não posso abrir mão da minha humanidade, nem acredito que devemos agir na premissa do "E se fosse você?", PORRA! É o outro, mas tão importante para este universo quanto a sua própria respiração. Quer encontrar Deus? Procure no espaço íntimo entre duas pessoas, chegue mais perto e abraçe mais forte o que um dia acreditamos ser o amor.

sábado, 8 de janeiro de 2011

Meu Velho



A caminho da cama de sonhos
Um pequeno estende os braços
Sentindo, mesmo nos trôpegos acasos
A segurança por trás de olhos tristonhos

E se hoje toma nuvens por algodão
Confesso: Tem pés além do chão
Onde o azedume deste peito
Vencendo dor e lágrimas fez-se desfeito

Dessa caminhada há areia entre dedos
Alguma poeira cobre ainda o teto
Ao lado, tuas pegadas por perto
Mesmo assim carrego certos medos

Até quando, velho amado e querido
Terei teus passos a andar comigo?
Vou seguir sempre a sonhar
Pois serás minh'alma em cada breve respirar

Khalil N.

domingo, 12 de dezembro de 2010

Glória


Se toda verdade que eu tivesse a gloria de um rei fosse, teriamos uma deposição antes da coroa acomodar alguns fios de cabelo. Sei de alguma forma como as coisas funcionam, a grande questão está no fato que a menor distância entre pensar e agir não configura uma reta, mas uma sinuosa curva. Talvez por isso tantas vezes estou a trajar os mesmos erros. A glória só pode ser alguma coisa dentre as outras coisas.